Recauchutando um Nintendo DS

Todas as peças inclusas com a Shell. Tem até parafusos

Comprei meu Nintendo DS, o modelo originalzão, prateado, há quase três anos. Precisamente em outubro de 2005. Desde então, ele tem sido meu companheirão em inúmeras aventuras: foi pra vários cantos do Brasil, duas vezes pros EUA e até pra Seoul, sempre sem reclamar, me ajudando a matar incontáveis horas dentro de ônibus, aviões e em salas de espera de rodoviárias e aeroportos.

Mas confesso que não fui muito cuidadoso com ele. Antes de uma viagem, simplesmente largava ele dentro da mala, em um bolso acessível. Viajando junto com chaves e outros itens (como meu iPod), inevitavelmente ele sofreu arranhões. E a Nintendo não ajudou: em vez de plástico colorido, fez o gabinete de um plástico branco-leitoso pintado de prata. Com o tempo e a fricção de horas nas mãos, a tinta começou a desbotar.

Eu poderia ter feito um upgrade pra um DS Lite, mas sinceramente não vejo muita vantagem: sim, a tela é melhor, mas estou satisfeito com a do DS Original. Cheguei a pensar em comprar tinta e pintar o console (como vi várias vezes na internet), mas considerando minha experiência anterior com pintura de plásticos (no caso um Hotbit 1.1) e os resultados… digamos… menos que satisfatórios, resolvi não arriscar.

Até que, cerca de um mês atrás, enquanto navegava na internet, tropecei com a oferta de algumas “cascas” substitutas (o nome em inglês é replacement shell) no DealExtreme. A pouco menos de sete dólares cada, e com frete grátis pra todo mundo, não custava experimentar. Pedi uma casca branca (incluindo também a chave tri-wing que eu ia precisar pra abrir o console), e em cerca de três semanas o pacote chegou em casa.

A caixa é hilária e diz “Ninetudo DS Shell”. Sim, Ninetudo, só pro fabricante poder dizer que não está usando ilegalmente nenhuma marca registrada da Nintendo. O kit é bastante completo. Além da “casca” do console ele inclui também a lente plástica pra tela superior, botões, a manta de borracha que vai sob eles, parafusos e o cúmulo dos detalhes: um novo adesivo com o logo da Nintendo (sim, Nintendo desta vez) para a tampa do console, e um outro, perfeito, com um número de série novo e informações de copyright (aquele que fica debaixo do console, perto da bateria). Bem pensado, já que não dá pra descolar o adesivo original e colar na nova casca sem danificá-lo. Claro, nem preciso dizer que o número de série muito provavelmente não é válido, é só para fins cosméticos.

Para desmontar o console, segui instruções que encontrei na internet. Não é tão complicado quanto parece, é só ter um pouco de paciência. Aprendi algumas coisas durante o processo:

  • Esqueça os parafusos que vieram com o kit, eles “estripam” muito facilmente. Use os originais
  • Da mesma forma, descarte a lente da tela superior que veio com o kit e use a original, feita de plástico mais resistente. Com um pouco de cuidado é fácil descolá-la da carcaça original e colar na nova sem causar danos.
  • Em vez dos botões brancos, usei os originais do console, pretos. O contraste ficou mais legal. Só não mantive os gatilhos (L e R), porque os originais não encaixavam direito devido a uma pequena diferença no molde. Estes ficaram brancos, mas até que o visual ficou legal (e funcionam bem).
  • Tenha em mãos um estilete afiado, e talvez uma Dremel ou outra forma de perfurar/lixar plástico. Você provavelmente vai ter de aparar algumas arestas no plástico da nova casca para que tudo se encaixe perfeitamente, mas nada grave. Por causa de um outro defeitinho no molde, um buraco que estava preenchido quando não deveria, levei uma hora até entender porque diabos um dos gatilhos “travava” quando eu fechava o console. Broca e Dremel (para abrir o buraco) resolveram a questão.
  • Tenha paciência, e não aperte demais os parafusos para não espanar a rosca ou estripar os coitados.

O resultado final ficou MUITO bom, considerando o preço que paguei. O plástico não é um branco “polido” como o do DS Lite, mas sim um branco mais “fosco”, que tem a vantagem de não acumular impressões digitais. Depois de fechado, o console fica bastante sólido, você não sente plástico cedendo ou rangendo. Não sei como o branco vai aguentar mãos suadas e calor, espero que não amarele. Mas se amarelar, mais US$ 7 e fica tudo novo de novo.

Ah, guarde as peças originais. Vai que você decide pintá-las pra fazer um visual totalmente customizado? Até lá, fique com mais algumas imagens.

5 thoughts on “Recauchutando um Nintendo DS

  1. Pingback: Blog DS » Games

  2. Que bom que o site está de volta, gostei de saber que alguem conseguiu comprar algo nesta loja.
    Minhas esperanças agora são maiores, vou comprar lá também. abraços.
    Posso colocar um link no seu log no meu? mande uma imagem que eu coloco, estou querendo lnkar alguns sites que uso ao inves de usar o blogroll

  3. Nossa, ficou do caralho mesmo!

    Visual Stormtrooper for the win!

    Deu vontade de fazer no meu, que também é modelo antigão e também tá meio surradinho, o coitado. Mas não tenho a tal paciência

  4. DealExtreme rocks. Mas fiquei impressionado com o tempo para receber a encomenda: aqui demora pelo menos um mês e meio… fica uns 30 dias parado no RJ. E olha que eu peço coisa da DX direto.

Leave a Reply to Leandro Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *