Intelbras tem netbook

Assim como os colegas do Zumo e muitos outros membros da imprensa especializada em tecnologia, estou participando (pelo terceiro ano consecutivo) do Intel Editor’s Day 2008. E o dia mal começou e coisas interessantes já estão começando a aparecer.

A Intelbras, conhecida fabricante de equipamentos de telefonia, tem um netbook. A máquina estava circulando entre as mesas dos jornalistas na primeira manhã do evento, e em uma análise rápida segue o mesmo “formato” do EeePC ou Mobo, equipada com processador Intel Atom de 1.6 GHz e 512 MB de RAM, além de saída para monitor externo (VGA), três portas USB e uma webcam. Não tive tempo de anotar tamanho da tela ou capacidade do disco, mas vou correr atrás.

O sistema operacional era a distribuição Linux “Fenix”, em português e com carinha de Windows Vista, até com um Menu Iniciar “esperto” como no atual sistema da Microsoft. A única identificação no gabinete era uma etiqueta com o código LC89 na parte de baixo, acompanhada de caracteres em chinês. Como não encontrei um selo da Anatel, provavelmente se trata de um protótipo. Mais informações em breve, por enquanto fiquem com uma foto depois do clique

Continue reading

Um novo Mobo?

A Positivo Informática convidou a imprensa especializada em tecnologia para uma coletiva no próximo dia 18 de Setembro em SP. Até aí nada de mais, coletivas acontecem aos montes, tem semanas em que tem uma a cada dia. O detalhe interessante é o seguinte trecho do texto:

Lançamentos de notebooks e ultraportáteis que chegarão nos próximos dias ao varejo também serão mostrados em primeira-mão.

Fiz questão de frisar a palavra “ultraportátil” na frase acima. Qual o ultraportátil da Positivo? O Mobo, que apesar de ser uma boa máquina, começará logo a mostrar sinais de cansaço perante uma nova leva de concorrentes mais poderosos (novos EeePC, MSI Wind, HP Mini-Note, etc).

O Mobo é baseado numa plataforma da VIA, que recentemente anunciou o projeto OpenBook: um subnotebook com especificações “abertas” e bastante interessantes, incluindo aí a possibilidade de uso dos novos processadores Via Nano. Posso estar enganado, mas tudo aponta para um “Mobo 2.0”. Se eu estiver certo, lembre-se: você viu primeiro no BADCOFFEE 😛

iPhone 3G

iPhone 3G aberto

O iPhone 3G está chegando, com direito a filas nas lojas, expectativa e tudo o mais. Na verdade, quem mora “do outro lado do mundo”, como Nova Zelândia, Austrália ou Japão, já tem o brinquedinho em mãos. E seguindo uma tradição nerd milenar que data da era do bit lascado, temos mais uma autópsia na rede!

O povo do iFixIt preferiu não esperar. Foram até a Nova Zelândia (primeiro país a receber o novo iPhone), compraram um, desmontaram e colocaram várias fotos, comentadas, na internet. Por dentro pouca coisa muda: LCD e o vidro da tela agora são separados, a bateria é mais fácil de remover (não é soldada) e as duas placas (comunicação e placa-mãe) do modelo anterior foram reduzidas a uma. Memória e processador (com o logo da Apple) continuam sendo produzidos pela Samsung. Quer detalhes? Clica aqui

Linux no HP Mini-Note

A quem anda curioso: sim, recebi um HP 2133 Mini-Note PC para testes lá no iG. Infelizmente, a agenda corrida não me deixou tempo livre para brincar com ele por mais que alguns minutos, e acabei tendo que “terceirizar” os testes para um dos freelas que prestam serviços para mim.

Felizmente, o freela fez alguns testes com Linux e me reportou parte dos resultados. A máquina veio com o Windows Vista Business, e ele tentou instalar o Ubuntu e o Open SUSE 11. Em ambos os casos, “penou” na configuração de vídeo, o que já era esperado devido ao chipset de vídeo VIA usado na máquina (é o mesmo do MOBO, aliás). O recado é: se quiser um Mini-Note com Linux, compre a versão com o SLED 10 pré-instalado. Você economiza uma graninha, e poupa bastante trabalho.

Os resultados completos devem chegar nesta semana. Mais novidades neste mesmo post, e review completo em breve lá no iG.

Brincando com o HP 2133 Mini-Note PC

Tive a oportunidade, hoje pela manhã, de brincar durante pouco mais de uma hora com o mais novo subnotebook da HP, o HP 2133 Mini-Note PC (eita nomezinho comprido). Não foi tempo suficiente para experimentar várias distribuições Linux, com o Augusto pediu, mas foi o bastante para ter uma boa idéia do que é o produto, e ficar impressionado.


HP Mini-Note vs. Eee PC 701

Não vou repetir aqui tudo o que já disse lá no iG. Leiam o artigo para saber sobre detalhes da configuração, preços e chegada ao mercado nacional, bem como os testes de resistência à água e à queda. Resumindo, o bichinho é durão, duvido que meu Eee PC (ou um Mobo) sobrevivesse aos mesmos desafios. O teclado é uma delícia, bem espaçoso. E essa é pro Boiko: tem versão com Linux sim senhor, instalado de fábrica.

Na verdade, as máquinas que foram colocadas à disposição dos jornalistas convidados representavam todos os modelos que chegarão em breve ao mercado nacional. Há versões com Linux, com Windows Vista Home Basic e Windows Vista Business. O modelo mais barato é justamente o com Linux (R$ 1.499), mas a configuração é também a mais modesta: processador Via C7-M de 1 GHz e 512 MB de RAM, basicamente o mesmo “núcleo” do Mobo.

Tratei logo de colocar as mãos em um modelo com Linux, e fiquei bastante satisfeito com o que vi. A distro é o SuSE Linux Enterprise Desktop 10, da Novell. Todo o hardware estava configurado perfeitamente, sem exceções: leitor de cartões SD, interface wi-fi, vídeo, áudio, rede Ethernet e o que mais fosse possível.

Não encontrei um programa para testar a webcam, mas não há motivos para não crer que ela funcione perfeitamente. O sistema estava configurado com 512 MB de swap, “casando” com os 512 MB de RAM. Sleep e hibernação funcionaram sem soluços, e o tempo de boot (que não medi no relógio) me pareceu bastante adequado. Em resumo, deu gosto de ver.

Apesar do tamanho similar, não dá para comparar o Mini-Note com um Eee PC 701, o modelo mais popular por aqui. Ele pertence a uma categoria à parte. Talvez a coisa fique mais justa comparando aos novos subnotes baseados nos processadores Atom ou Via Nano, como o Eee PC 901 ou o MSI Wind, mas só colocando as mãos neles para ter certeza. Até lá, na minha opinião, o HP Mini-Note leva o título de “rei” entre os modelos já ao alcance de nós, brasileiros.

Espero ter uma unidade em mãos para testes em breve, quando pretendo, com calma, ver como um Ubuntu ou outra distro se comporta nele sem os ajustes “de fábrica”. Até lá, fiquem com uma galeria comentada com 15 fotos do brinquedo, incluindo fotos comparativas com o Eee PC 701, que postei lá no Flickr. Até!

30 anos do x86

A arquitetura x86, base dos “PCs” desde o primeiro modelo lançado pela IBM em 1981 até os mais novos subnotebooks baseados no processador Intel Atom, está completando 30 anos. Uma eternidade no mundo da tecnologia. A ComputerWorld publicou um artigo muito legal comentando as origens, evolução e impacto que ela teve na indústria. Leitura recomendada.

Positivo Mobo: “companheiro de aventuras”

Positivo MoboEstive hoje pela manhã na coletiva da Positivo Informática onde foi feito o anúncio de lançamento do Mobo, o subnotebok “EeePC-like” da empresa, e confesso que fiquei bastante interessado no “brinquedo”.

Sim, ele é limitado: tem pouca RAM, “quase nada” de espaço em disco e um monitor bem pequeno (7 polegadas a 800×480), e já posso ouvir gente reclamando que “não cabe nada de MP3”, “o processador é fraco”, “não dá pra jogar com essa placa de vídeo” e “com mais R$ 500 você compra um notebook de verdade”. Sinceramente, se você está preocupado com qualquer um destes pontos, o Mobo não é um computador para você.

Continue reading

Exposição Star Wars

Passeio (um dos muitos) do fim de semana: uma visita à “Exposição Star Wars” no Ibirapuera, aqui em SP, com namorada e amigos. A entrada é salgada (R$ 30 adultos, R$ 15 crianças) mas vale a pena, especialmente para os fãs da saga. Entretanto já aviso que os fãs hardcore, aqueles que sabem até o nome de solteiro da mãe de cada envolvido na produção, vão se decepcionar, já que pra eles não há “novidade” suficiente.

Pontos altos: as roupas de Boba Fett, Chewbacca, Han Solo, Leia (do Episódio V) e Anakin (Episódios I, II e III), além de uma incrível maquete de um Imperial Star Destroyer e modelos em tamanho real de naves usadas nos Episódios VI (uma Speeder Bike), II (um Airspeeder) e III (o caça de Anakin na batalha de Coruscant).

Omissões imperdoáveis: nada, a não ser um storyboard, da Estrela da Morte, nem do Imperador Palpatine/Darth Sidious (fora o sabre de luz). Parece que ambos os “personagens” sequer fazem parte da história.

Coloquei uma galeria com 60 imagens no Flickr. Clique na amostra abaixo para visitar.

Exposição Star Wars Brasil

Sobre o MacBook Air

Duas notícias rapidinhas (e estranhas) sobre o MacBook Air que ouvi nesta semana.

» Um programador norte-americano chamado Michael Nygard foi barrado pela segurança e acabou perdendo seu vôo em um aeroporto (não identificado) nos EUA. O motivo? Um MacBook Air. Aparentemente a funcionária responsável pela máquina de Raios-X desconfiou da imagem do MacBook e chamou outro funcionário da segurança para investigar. Intrigados com o fato de que a máquina “não tem drive” e nem “portas na traseira”, além de ser fina demais, se recusavam a acreditar que era um notebook. Foi preciso um outro funcionário, mais jovem e “antenado” com o mundo da tecnologia, para explicar as coisas. Ainda assim, Michael só foi liberado depois de ligar o micro e rodar um programa. Até lá, o vôo já tinha saído faz tempo.

» Stephen Levy, responsável pelo caderno de tecnologia da revista norte-americana Newsweek, perdeu o MacBook Air que a Apple lhe emprestou para um review. Como, exatamente, ele ainda não sabe, mas recapitulando os fatos ele acredita que sua esposa jogou a máquina fora, junto com uma pilha de jornais velhos que estavam sobre a mesma mesa (ela nega). Do notebook sobrou apenas um carregador e uma conta de US$ 1.800, que vai ser paga pela revista. Nas palavras do próprio Stephen:

Por mais humilhante que possa ser, deixe-me repetir: o MacBook Air é tão fino que foi jogado fora junto com os jornais. […] Este foi o primeiro MacBook Air a ser descartado por engano. Mas, aposto, não vai ser o último.

Sei mais ou menos como ele se sente. Há alguns anos, quando eu ainda era um universitário, minha mãe apareceu com uma pilha de papéis recolhidos do meu quarto, avisando que ia jogar tudo fora. Nem olhei direito e disse “tudo bem”. Daí ela resolve se certificar: “Vou jogar esse cartão de banco velho também, pode?”. Perai, cartão de banco? Não tenho cartão de banco velho… olhei e pulei da cadeira. Era o modem PCMCIA (56K, ainda por cima) que usava em meu notebook. Escapou por pouco, muito pouco!

HP Pavilion m9160br: um Media Center com Blu-ray

A HP apresentou hoje à imprensa o HP Pavilion m9160br, um PC Media Center topo de linha para quem quer o máximo em multimídia e pode pagar por isso. A máquina segue a mesma linha do Pavilion m8060br que analisei no ano passado ainda na PC Magazine, mas com várias melhorias quanto ao hardware. A principal delas é um processador Intel Core 2 Quad Q6600 acompanhado por 2 GB de RAM, expansíveis a até 4 GB.

O disco rígido principal tem 500 GB, e ainda há um “slot” frontal para um segundo disco (incluso com a máquina) removível de 160 GB que a HP chama de PMD, ou Personal Media Drive. Enquanto o modelo antigo tinha duas unidades óticas, um leitor de DVD e um gravador de DVD Dual-Layer com LightScribe, este tem apenas uma, mas é “a” unidade ótica: além de gravar (e regravar) praticamente todo tipo de CDs e DVDs, ela também lê discos Blu-ray e HD-DVD. A HP faz questão de frisar que é a primeira máquina com reprodutor de Blu-ray no mercado nacional. Curiosamente, fora uma logo no press kit, não havia nenhuma menção ao HD-DVD. Já saiu de moda.

Continue reading