N88: Será que o “smartwatch” de US$ 20 presta?

Tenho um tio não muito mais velho do que eu que também é fascinado por tecnologia. De fato, foi ele quem me apresentou os videogames, que me levaram a uma carreira em tecnologia. E vira e mexe, navegando pela internet, ele esbarra em algum produto que chama a atenção.

Diggro N88

Foi assim que conheci o N88. Ele estava à procura de um relógio capaz de medir batimentos cardíacos e pressão arterial e que fosse, acima de tudo, barato. Numa primeira impressão achei que era mais um daqueles produtos que são “bons demais pra ser verdade”, ainda mais considerando o preço de cerca de US$ 20, mas apesar dos meus avisos meu tio não desistiu da compra.

E confesso que, quando o relógio chegou, fiquei bem surpreso. Não é que o treco funciona bem, dentro do que se propõe a fazer? Claro, não é um Apple Watch, mas é um produto bastante honesto pelo preço. Experimentei o N88 por algumas horas, e conto aqui minhas impressões iniciais sobre o produto.

Você provavelmente vai encontrar o N88 nas lojas online com outros nomes, algo muito comum em produtos chineses: um mesmo design é licenciado para várias empresas. O modelo que experimentei é da Diggro, mas você pode encontrar ele como FocusSmart, Rundoing, EXRIZU ou apenas N88, entre outras marcas. Teoricamente, são idênticos.

Antes de mais nada: ele não é um smartwatch!

Tecnicamente, o N88 não é um smartwatch. Ele não roda Android, iOS ou Tizen e, mais importante, não permite a instalação de apps de terceiros, o que considero a característica definitiva de um smartwatch.

É o mesmo critério que diferencia um feature phone de um smartphone: o primeiro pode até ter um media player e navegador, como os smartphones, mas no geral você tem que se contentar com o que vem instalado pelo fabricante.

Em termos de recursos o N88 está mais para uma smart band ou fitness band como a Mi Band, ainda mais considerando suas funções: monitor cardíaco, de pressão arterial e de sono, contador de passos, cálculo de queima de calorias, alerta se você passar tempo demais sentado, etc.

O N88 no pulso, com a tela apagada. De relance, dá até pra confundir com um Apple Watch.

Além disso ele tem integração básica com o smartphone: exibe notificações e avisa sobre chamadas. Um recurso muito legal permite usar o relógio para localizar o smartphone, fazendo ele bipar. Ótimo pra quem, como eu, esquece até a cabeça (sério, perdi meus óculos dentro de casa há três dias e ainda não os encontrei).

Ainda assim, as pessoas chamam o N88 de smartwatch porque, afinal de contas, ele é muito mais esperto que um relógio comum e smartwatch soa melhor numa listagem de produtos de uma loja online do que fitness band.

Você pode chamar ele de João se quiser, mas é importante temperar as expectativas: se você souber o que realmente está comprando, as chances de se decepcionar são muito menores.

E não é que ele é bonito?

Com sua tela retangular e cantos arredondados, é difícil negar a inspiração do N88 no Apple Watch. De fato, se a tela estiver apagada, num relance você pode até confundir um com o outro. O modelo que experimentei tem visual bem esportivo, com a carcaça preta e pulseira preta com detalhes em verde fluorescente, mas ele também está disponível nas cores laranja e branca.

O relógio veio em uma “gift box” branca, bem acolchoado em espuma e acompanhado do manual e cabo USB para recarga, que é magnético e proprietário: ele se conecta ao smartphone com dois pinos “pogo” na traseira, presos por imãs.

A caixa do “Diggro” N88

O manual é uma vergonha: uma folha de papel com instruções em 3 idiomas de cada lado, que consistem basicamente em uma visão geral do aparelho, QR Code pra baixar o app no Android e o básico do básico das instruções para navegar na interface (toques curtos e longos). Nada mais.

Com carcaça toda em plástico, o N88 pesa apenas 36,5 gramas, ou seja, você nem nota que ele está no pulso. Segundo o fabricante a tela LCD de 1,3 polegadas usa a tecnologia IPS, e as primeiras impressões parecem confirmar isso: a visibilidade é muito boa, com cores vivas, bom contraste, alto brilho e bom ângulo de visão, sem distorção na imagem.

Falando na tela, você pode pensar que ela é sensível ao toque, mas não é. Na verdade até eu fiquei surpreso ao perceber isso. O sensor de toque está limitado a uma pequena área circular abaixo da tela (nas fotos ele é destacado com um círculo, mas quase não é visível no produto). É lá que você deve tocar ou passar o dedo para interagir com a interface.

A área sensível ao toque fica logo abaixo da tela, destacada com o círculo na imagem acima.

A fabricante afirma que o N88 é à prova d’água (certificação IP68) a até 1,5 metros de profundidade, e que você pode usá-lo mesmo quando estiver nadando. Não testei isso, mas imagino que ele deva resistir ao menos a uma corrida na chuva, algo que é comum em produtos dessa categoria.

Por fim, a bateria de 180 mAh é suficiente para “até 7 dias” de uso contínuo ou 25 dias em standby, segundo a fabricante. Mas não usei o relógio por tempo suficiente para testar esse ponto.

E funciona direito?

Depois que você “pega o jeito” é fácil navegar pela interface do N88. Um toque curto no sensor alterna entre as funções, um toque longo ativa a função na tela (como o monitor cardíaco ou de pressão arterial).

No curto tempo que passei com o N88 pude experimentar o contador de passos, medição de distância, pressão arterial e batimentos cardíacos. O contador de passos mostrou uma quantidade um pouco maior do que o reportado por meu smartphone Android (usando o Google Fit), mas nada preocupante.

O monitor de pressão arterial mostrou 126/81, ou “12/8”, que é a minha pressão normal. Não tenho um monitor cardíaco em casa, mas a indicação de 85 batimentos por segundo casou com o mostrado por meu smartphone Android usando o app Runtastic Heart Rate.

Medindo a pressão arterial com o N88. Resultados dentro do esperado.

Ambos usam o mesmo método, chamado de fotopletismografia: usam uma luz forte (flash da câmera no smartphone, LEDs verdes na traseira do N88) para iluminar a pele e medir mudanças na absorção de luz à medida em que o sangue circula.

Na traseira o N88 tem um LED e um sensor usados para medir os batimentos cardíacos. Os pontos dourados são o conector para o cabo USB.

Integração com o Android

Para gerenciar o N88 você usa o app Wear Health, que é gratuito no Google Play. Nele você registrar dados como trajetos percorridos, um histórico de seus dados vitais (batimento cardíaco, pressão arterial, calorias queimadas, tempo de sono), definir metas (por exemplo: “dar 10.000” passos por dia) e também gerenciar o relógio.

É no app que você pode zerar contadores, definir uma imagem que aparecerá como “papel de parede” ou quais informações aparecem na tela inicial. Também é lá que você configura como as notificações devem aparecer no relógio.

Wear Health é o app usado para gerenciar o N88

Um ponto ruim é que os dados do Wear Health não podem ser transportados para o Google Fit, ou pelo menos não encontrei como.

Vale a pena?

Depende do que você procura. Se você quer um “relógio modernoso” com recursos básicos de fitness, o N88 é uma boa opção: custa o mesmo preço (na China) que uma Mi Band 3, com tela maior e muito melhor. Esperava muito menos, mesmo considerando o preço. Ficou interessado? Você pode comprar o N88 na AliExpress

Mas se você está de olho em um smartwatch “de verdade”, é melhor procurar em outro lugar.

Este post contém links afiliados, mas todas as opiniões são minhas e sinceras.

Leave a Reply

Your email address will not be published.